sábado, 11 de março de 2017

Marvão no Coração!


Em alternativa aos partidos políticos, nos boletins de voto das próximas eleições autárquicas em Marvão vamos poder escolher “o Coração”…




…pois o parlamento aprovou ontem uma alteração à lei eleitoral autárquica que, entre outros assuntos, define que as candidaturas independentes passam também a poder utilizar sigla e símbolo!


domingo, 5 de março de 2017

Autárquicas 2017 - Comunicação nº 2

Caros amigos marvanenses,
têm chegado à nossa Coordenação algumas dúvidas da população sobre as pessoas que constituem e representam actualmente o Movimento Independente - Marvão para Todos (MpT), nomeadamente, Jorge Rosado.

Assim, o MpT esclarece todos os marvanenses que Jorge Rosado esteve neste Projecto, mas, desde Setembro de 2016, por vontade e interesse próprios, abandonou o MpT e passou a integrar a Candidatura do Partido Socialista e de Madalena Tavares.

Tal como informámos em anterior comunicado, neste momento a Coordenação do MpT já está acompanhada por uma vasta lista de marvanenses que entretanto aceitaram integrar o nosso Projecto de Candidatura às próximas eleições autárquicas de Outubro de 2017 e que, em devido tempo, divulgaremos e apresentaremos publicamente.

Até lá, o MpT continua empenhado e a trabalhar para apresentar um projecto eleitoral alternativo e independente aos marvanenses, bem como a formação das equipas que o executarão. 

Lembramos que estamos a 7 meses da data das eleições e que, até essa altura, existe muito tempo para que os marvanenses tomem conhecimento das nossas equipas e das nossas propostas para governar o concelho de Marvão. Lembramos aqui também uma divisa que nos acompanha: “nem sempre ganha quem arranca primeiro, mas sim quem apresentar as melhores propostas, tiver a confiança dos eleitores e ganhar as eleições”.

Aproveitamos ainda para saudar todos aqueles que já se apresentaram por outros projectos e outras forças políticas às próximas eleições, bem como aqueles que se venham ainda a apresentar. O MpT faz votos para que cada um apresente as suas críticas, propostas e as suas equipas em liberdade, sem medos, sem atropelos e sem coação, numa sã convivência democrática. 

O MpT, enquanto Movimento Independente, não é contra os Partidos e respeita-os como sendo o suporte do edifício democrático, mas exige a todos que sejamos aceites e respeitados em igualdade, enquanto grupo de intervenção política, que a Constituição da República nos permite e reconhece para aprofundamento dessa mesma democracia. 

                                                                    A Coordenação do MpT